o chá representa, para mim, dois pontos opostos de um mesmo contínuo: numa ponta, a união, a amizade, o convívio social em sua melhor acepção; os amigos tomam chá e contam estórias. o tempo cessa.
na outra ponta está, porém, o compositor, sozinho em seus desígnios profissionais; a misantropia da composição está concentrada nesse momento, na hipnose da estafa silenciosa, à espera da infusão. os sons da noite são mais presentes do que nunca. o tempo cessa novamente.
esta música é essa contradição.